Uncategorized

‘NÃO IRÁ FALTAR LUZ DURANTE A COPA DO MUNDO’, GARANTE CEMIG

Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, em Belo Horizonte

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) está pronta para a Copa do Mundo 2014. A companhia garantiu nesta terça-feira (13), durante coletiva de imprensa, que não vai faltar energia nos principais locais do Estado durante a competição. A empresa ainda informou que investiu R$ 527 milhões no sistema para garantir o fornecimento.
Com relação ao plano de atendimento da demanda, o superintendente de Operação e Manutenção da Distribuição, Danilo Gusmão Araújo, revelou que foram investidos mais de R$ 500 milhões. “O objetivo é garantir o fornecimento de energia tanto em pontos prioritários, quanto para a população em geral. Somente na capital, foram aportados R$ 161 milhões”.
O Mineirão, estádio que receberá os jogos, é abastecido por duas linhas de transmissão que saem das subestações Pampulha e Maracanã. Além de atenderem apenas ao gigante da Pampulha, as linhas são subterrâneas, o que diminui substancialmente o risco de queda de energia. Caso haja algum problema nesta rede, o superintendente de Operação e Distribuição da Cemig afirma que ele pode ser solucionado em até nove segundos.
O aeroporto de Confins também recebe atenção especial da companhia, com três linhas de abastecimento exclusivas. “Não temos histórico de que Confins tenha parado de funcionar em virtude de falta de energia. Vamos continuar assim”, garante o superintendente. 
Para que a população seja atendida com mais rapidez em caso de falta de luz, Araújo disse que será ampliado o contingente de técnicos, engenheiros e operadores em campo. Em dias comuns, aproximadamente 800 homens ficam de prontidão. Durante a Copa, serão 1,2 mil. “O plano é semelhante ao que operamos em dias de chuva”. A instalação de 400 equipamentos telecontrolados também melhora a segurança da rede.
O superintendente ainda citou a construção de duas subestações como reforço ao sistema. Juntos, os empreendimentos têm capacidade instalada de 65 megavolt-ampere, o suficiente para alimentar uma cidade de médio porte, como Barbacena, no Campo das Vertentes. As subestações estão localizadas em Jaboticatubas (15 Mva) e Santa Luzia (50 Mva), ambas na região metropolitana.
Em caso de necessidade, a companhia adquiriu, ainda, 15 subestações móveis e dez unidades geradoras. Das subestações, três estão em Belo Horizonte. Dois geradores estão na capital. Por fim, um helicóptero ficará de sobreaviso para monitorar a rede.

Obras

Três das sete obras que a Cemig toca para atender à Copa do Mundo e estão atrasadas devem ficar prontas ainda neste mês. Outras quatro, que também deveriam ser concluídas antes de 12 de junho – conforme planejamento apresentado à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) – estão para o ano que vem. Os atrasos não atrapalham o fornecimento de energia, conforme aponta nota emitida pelo Ministério de Minas e Energia (MME). As informações foram repassadas pelo superintendente de Operação e Distribuição da estatal, Danilo Gusmão Araújo, nessa segunda-feira (12), durante apresentação dos planos da companhia para o atendimento de demanda no mundial.
As obras que sairão do papel neste mês são referentes à subestação Sete Lagoas 4, que está em construção pelo grupo espanhol Cobra, vencedor do certame em 2010. A Cemig é responsável pelas linhas de transmissão que interligam o empreendimento a outras três subestações: Esmeraldas, Sete Lagoas 3 e Paraopebas.

VIA: HOJE EM DIA

Para o Topo