Uncategorized

Polícia prende o último envolvido na morte de funcionário da Cemig

Último suspeito de matar funcionário da Cemig é preso em BH
Davidson planejou assalto (Foto: PCMG/Divulgação)
O terceiro e último envolvido na morte do funcionário da Cemig, Flávio José Froes de Oliveira, ocorrida durante uma tentativa de assalto, no bairro Calafate, na capital, foi preso pela equipe da 1ª Delegacia de Polícia Civil do Barreiro, na manhã de quinta-feira (3).
Trata-se de Davidson Junio Benjamin, de 24 anos. Segundo o delegado Júlio Zica, responsável pelo inquérito policial, Davidson agiu como mentor do crime. Havia um mandado de prisão preventiva em aberto contra ele, que foi cumprido na Cabana do Pai Tomás, região Oeste de Belo Horizonte.
Os levantamentos apontam que Davidson já teria acompanhado sua avó a consultas médicas no prédio onde ocorreu o crime. Localizado na Rua Campos Sales, o edifício abriga a diversos outros consultórios médicos e odontológicos, o que o levou a escolher o local para praticar a série de assaltos.
No dia 21 de outubro, três criminosos chegaram ao prédio por volta das 14h30. Após anunciarem o assalto, eles roubaram o dinheiro e os celulares de nove vítimas, em diferentes salas. O grupo já estava saindo do edifício quando deparou com Flávio. A vítima colocou a mochila no chão e tentou fugir, mas acabou sendo atingida pelas costas, morrendo ainda no local.
O primeiro suspeito a ser preso foi Gabriel Henrique Moreira Marinho, de 18 anos, em 10 de novembro. Após ser capturado por policiais militares, ele confessou ser o autor do disparo que matou o servidor público. A prisão do segundo envolvido no crime ocorreu dez dias depois, em 20 de novembro, quando Cristiano Rodrigues dos Santos, também de 18 anos, teve seu mando de prisão preventiva cumprido. Ele também confessou ter participado do assalto. O inquérito relativo ao latrocínio (roubo seguido de morte) já foi finalizado e entregue à Justiça, em 23 de novembro.
Para o Topo
error: Content is protected !!