Oeste de Minas

Suspeitos do homicídio de uma mulher em Santo Antônio do Amparo são presos

Foto: Divulgação/PCMG

Após intenso trabalho investigativo, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em Santo Antônio do Amparo, identificou quatro suspeitos de envolvimento no homicídio de Rosali das Graças Santos, 31 anos. O corpo da vítima foi encontrado, na manhã do último sábado (29), com sinais de violência sexual e diversas lesões, sobretudo na região da cabeça. As investigações apontam que a vítima teria participado de uma festa na cidade e, por volta das 04h da madrugada, ao caminhar pelas imediações do Bairro Eldorado, foi surpreendida pelos suspeitos.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Leandro de Prada Macedo Costa, desde que os fatos chegaram ao conhecimento da PCMG, foram realizadas diversas diligências até a identificação dos suspeitos. No dia do crime, foram presos em flagrante Romário Rufino Mariano, 23 anos, e Leonardo Fernandes da Silva, 32. No decorrer das apurações, a equipe levantou que Arenildo Serafim dos Reis, 43 anos, o “Beguinha”, e Gilmar Roberto Campos, 31, conhecido por “Tiziu, também teriam participação no crime. Diante dos fatos, o delegado representou à Justiça pela prisão preventiva deles, sendo cumprida na quarta-feira (02).

O delegado esclarece, ainda, que, apesar de nos primeiros depoimentos os investigados apresentaram versões evasivas acerca dos fatos, nesta sexta-feira (04), houve novos interrogatórios e, na acareação, ficou evidente a presença dos quatro no cenário do crime. “Algumas contradições foram esclarecidas. Um ou outro nega o estupro e nenhum confessou os atos homicidas. A versão dos quatro indica que eles estiveram no local, se não praticando, presenciado os fatos”, comenta Leandro de Prada.

Requintes de crueldade
Exames periciais já realizados indicam que a mulher foi bastante violentada e assassinada de forma brutal. “Da forma como apresentado o caso, há fortes evidências de que se trata de um estupro coletivo e, não satisfeitos, mataram-na de forma extremamente sofrida”, pontua o delegado. Os investigados forneceram material genético para confrontação de DNA e, ainda, está prevista uma reconstituição do crime.

Todos os suspeitos tiveram prisão preventiva decretada. Eles se encontram no Sistema Prisional, à disposição da Justiça. Os homens poderão ser indiciados por estupro com concurso de agentes (estupro coletivo), aliado a homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e tortura, mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima e visando a ocultação do crime anterior (estupro).

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo