Região Metropolitana de Belo Horizonte

Operação desarticula quadrilha que sonegou milhões em Ibirité

Uma força-tarefa da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) com o Ministério Público de Minas Gerais e a Receita Estadual deflagrou, nesta quarta-feira (27), a primeira fase da Operação “Beija Lona” para desarticular esquema de sonegação envolvendo a empresa Multilona Ltda, localizada em Contagem (MG).

Na ação, foram cumpridos mandados de prisão temporária e de busca e apreensão nas cidades de Contagem, Ibirité e Belo Horizonte.

Entre os presos, estão três dos quatro empresários suspeitos de organizarem o esquema: Carlos Giovanni Caetano de Lima, Plínio Fraga Ferreira e Dalmo Caetano de Lima. Eles são suspeitos de manter esquema de sonegação fiscal envolvendo as empresas Maxilona e Eurolona Fabricação e Comércio de Lonas Ltda.

A quadrilha teria sonegado cerca de R$ 150 milhões aos cofres públicos. Um investigado ainda se encontra foragido.

Segundo as investigações, o esquema consistia na aquisição de notas fiscais “frias” de empresas de fachada da região de Sarzedo e Ibirité. A suspeita é de que a fraude já era praticada desde a década de 90, quando os envolvidos eram sócios da empresa Plastibi Plásticos Ibirité. À época, também era sócio da empresa Euler Caetano de Lima, ex-prefeito da cidade de Ibirité, já falecido.

Além da sonegação de milhões, os envolvidos prejudicavam a livre concorrência no seguimento de produção de lonas plásticas, causando prejuízo direto às demais empresas do setor e aos consumidores.

De acordo com o Delegado Vitor Abdala, um dos responsáveis pelo caso, os envolvidos poderão responder por sonegação fiscal, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Para ele, em caso de condenação, as penas podem chegar a 15 anos de reclusão.

Na operação desta manhã, foram empenhados quatro Delegados de Polícia, 16 Investigadores de Polícia, 40 Auditores Fiscais e dois Promotores de Justiça.

Para o Topo
error: Content is protected !!