Economia e negócios

Usuários da Copanor terão reajuste médio de 10,82% nas faturas de água e esgoto

Usuários terão impacto médio de 10,82% nas contas de água e esgoto.

Foto: Reprodução/Internet

A conta de água e esgoto deve ficar mais cara para a população atendida pela Arsae-MG (Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais), a partir de 1º de outubro de 2017.

Segundo o cálculo feito, o impacto médio é de 10,82% nas contas de água e esgoto. O acréscimo foi divulgado no dia 1º desse mês, após a 2ª Revisão Tarifária Periódica da Copanor (Copasa Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais S/A).

De acordo com a empresa, o objetivo da revisão é criar condições para que o prestador possa se reestruturar e fazer os investimentos necessários que garantam abastecimento e tratamento de água e esgotamento sanitário.

Durante o processo, foram realizadas quatro audiências públicas em Diamantina, Araçuaí, Almenara e Teófilo Otoni e, no total, foram recebidas 63 contribuições presencialmente e por email. A agência também anunciou que as famílias de baixa renda, beneficiadas pela tarifa social, terão reduções nas contas nas faixas de consumo a partir de 4m³ (quatro mil litros). Outra novidade implantada pela Arsae-MG foi o repasse anual de R$ 40 milhões da Copasa para a Copanor que irá garantir recursos para investimentos como obras de manutenção e implantação de novos sistemas de água e esgoto.

Com as mudanças propostas, os usuários mais impactados serão aqueles que consomem 3m³ (três mil litros), são atendidos com água e esgoto tratado e não estão enquadrados na tarifa social. Essa parcela da população que antes pagava fatura de R$ 9,09 passará a pagar R$13,88, um aumento de R$ 4,79. Já os usuários beneficiados pela Tarifa Social na mesma faixa de consumo e com os mesmos serviços receberão faturas no valor de R$ 8,35, um acréscimo de R$ 0,16.

A agência ressalta que, com a revisão, foi possível elaborar uma política tarifária que proporcione condições econômicas e financeiras para que o prestador cumpra os objetivos de expansão, eficiência e qualidade na prestação do serviço. Além de permitir investimentos nos planos de capacitação, adequação do quadro de pessoal e de manutenção. O trabalho da Arsae-MG considera, ainda, a capacidade de pagamento das faturas pelos usuários da Copanor – mantendo o patamar de comprometimento da renda abaixo dos 3% que é o padrão sugerido pela ONU (Organização das Nações Unidas) – e o estímulo ao consumo consciente dos recursos hídricos.

Durante as audiências, o diretor presidente da Copanor, Alonso Reis, afirmou que o passivo da Copanor era muito grande, mas que a atual gestão vem enfrentando os problemas em parceria com a Agência. “Com o repasse de R$ 40 milhões sabemos que agora poderemos dar continuidade às obras já iniciadas e também aos novos projetos. Agora podemos planejar com prazos determinados e recursos disponíveis”, ressaltou.

Segundo Reis, será lançado um pacote de licitação para várias obras e estão sendo priorizadas aquelas que estão em andamento, que beneficiarão um maior número de pessoas e também localidades de extrema escassez hídrica. “Mesmo com todos os problemas, estamos avançando muito e, em breve, teremos uma Copanor melhor e com um novo conceito de gestão”, definiu.

Atualmente, a Copanor conta com 235 localidades atendidas por sistemas de abastecimento de água e 75 localidades atendidas com esgotamento sanitário, responsáveis pelo atendimento de 99.636 economias de água e 45.363 economias de esgoto, distribuídas em 76 municípios.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para o Topo
error: Content is protected !!